A MORTE E MORRER: DO ESTUDO AO FATO

Toda história de luto é também uma história de amor

A morte me alcançou. Essa frase escutei de um conhecido que ao se deparar com a morte de um parente próximo dizia que  todo o seu estudo e conhecimento não lhe serviu para nada, foi uma experiência desesperadora e incontrolável.

Muitas questões me veem dessa fala, principalmente o valor do conhecimento para quem lida constantemente com a morte e também para quem ensina sobre o tema.

Podemos ainda pensar sobre o enrijecimento, por vezes tão comum dos profissionais da saúde que se “acostumam” com a morte.

Nessa reflexão, diante de algo tão inevitável como a morte o que fazemos com o aprendizado?; Como se apropriar do que se ensina/estuda?

Diante da certeza de que somos atravessados a todo momento pela finitude, agravada pela pandemia e pelas possibilidades de não estar porque, ainda assim, ao se referir a morte falamos como se fosse algo de fora e distante, quando nosso corpo e organismo vai oscilando no tempo de vida.

“Os outros morrem, eu não” Norbert Elias, 2001.

O conhecimento deve ser vivido e cuidado dentro de si, deve fazer sentido para ser assimilado.

Estudar sobre a morte e o morrer deve estar atrelado ao entendimento de que não somos onipotentes e nem decidimos pelo outro, mas que impactamos o mundo com nossas decisões.

Devemos refletir que é intangível o mundo do outro, a existência singular e complexa do outro, não somos responsáveis, mas ao mesmo tempo impactamos em tudo a nossa volta.

De que adianta palavras guardadas em estantes? O conhecimento é de todos, infelizmente o acesso não.

Produzir conhecimento não é só escrever e ganhar títulos, a produção está em cada passo, em cada momento de experiência.

Por isso, use seu conhecimento ao seu favor, transforme-se no que você vive, conhece e acredita.

Tire dos livros para sua vida ou tudo não passara de palavras soltas e repetidas sem uma base prática que te auxilie nas decisões e situações limites que se passa pela vida.

Cuide de você e de quem puder.

Espero que seu conhecimento sobre a morte e o morrer lhe sirva para compreender os processos pelos quais você vai passar durante seu luto e que favoreça a encontrar caminhos de viver e transformar sua dor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *