“O PROCESSO É LENTO, MAS DESISTIR NÃO ACELERA”

processo psicoterapêutico

Sobre o processo psicoterapêutico

O processo psicoterápico trato como se fosse um caminho que você decide percorrer que te leva de encontro a você mesmo.

Como toda jornada nem tudo que encontramos pelo caminho são flores.

Às vezes você pode encontrar alguns espinhos e entender como eles foram parar lá.

Pode encontrar jardins que só precisavam de um pouco de água para florescer.

Com o caminhar, pode sentir um pouco de sede e aí precisar parar um pouco, se refrescar e pegar um pouco de fôlego para continuar.

Durante a caminhada, você também poderá perceber que divide esse caminho com outras pessoas.

Algumas andaram pouco tempo com você, outra perceberá que está em uma direção completamente oposta e algumas, estarão sempre ali pertinho pra te ajudar caso tope em uma pedra e precise levantar.

Falando em topar, por esse caminho, você também descobre que existiam algumas feridas que sempre estiveram lá doendo, mas nunca receberam a atenção necessária para serem entendidas como aconteceram e a partir disso serem tratadas, curadas e cicatrizadas.

 Esse caminho não é retilíneo, tem curvas, morros que exigem um grau de esforço maior e bifurcações que você vai precisar escolher por qual direção irá seguir.

E mesmo depois de ter escolhido, as vezes vai ser preciso voltar, entender melhor as opções e escolher um novo caminho no qual quer percorrer.

Mas, sabe o que mais tem de legal nesse caminho?

É que quando você decide seguir por ele, você tem a possibilidade de construir ele do jeito que você quiser ou até mesmo reconstruir, pois, como diz o poeta Antônio Machado “O caminho se faz ao caminhar”.

Quando você toma a decisão de percorrer nessa jornada, vai descobrindo suas várias possibilidades de existir, e deixa eu te contar um segredo, nunca mais você será o mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *