REVENGE BUYING: O QUE É ISSO?

Revenge Buying

Tem um molho para salada que eu sou apaixonada e sempre vejo em alguns supermercados daqui.

Mas certa vez, precisei compra-lo e não conseguia mais achar em lugar algum.

Então tirei uma noite e visitei inacreditáveis 6 supermercados.

SIM!!! JÁ ERA UMA QUESTÃO DE HONRA ACHAR AQUELE MOLHO!!

A salada já tinha comida 2 dias antes, mas a compra era quase uma vingança.

Fiz essa pequena introdução, para explicar um comportamento que vamos começar a ver nesse momento…

Os shoppings começaram a reabrir, e ao assistir o jornal local fui pega de surpresa.

As pessoas se “aglomerando” para poder comprar algo. Sim, COMPRAR, por que “passear” mesmo, acho que não é bem a palavra.

Já que além de todos os cuidados, as praças de alimentação, parquinhos e muitas outras coisas estarão fechadas…

Mas então, o que está acontecendo?

Está acontecendo um fenômeno chamado “REVENGE BUYING”. No português claro, “Comprar por vingança”.

Termo inventado na China, que tenta compreender esse excesso de compras por parte das pessoas. Comportamento de quem foi “privado” de fazer algo.

É fome né mores? Quarentena, Lockdown, Distanciamento social…

O Coronavírus restringiu as pessoas de saírem de casa em meio às normas de distanciamento social.

E agora, com o comercio voltando, a primeira resposta foi justamente correr para às lojas.

Mas um traço comum nesse comportamento, não são compras de um produto essencial, a “vingança” se apresenta mais quando as pessoas saem para comprar produtos supérfluos ou desnecessários.

Comportamento reproduzido pelos “compradores compulsivos” que compram quando estão sentindo uma angustia ou sofrimento emocional e que à medida que compram.

O cérebro libera endorfinas e dopamina gerando a sensação de bem estar e felicidade.

Lembrando que, o “REVENGE BUYING” não pode ser confundido com “PANIC BUYING” (compras por medo), comportamento que vimos no início da pandemia, quando muita gente estocou comida, álcool gel e acabaram até com os rolos de papel higiênico dos supermercados (esse último procedimento, nem os especialistas conseguiram explicar o que desencadeou!). ?⠀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *