É BOM FAZER PSICOTERAPIA?

Tem dias que me pego pensando muito sobre essa pergunta. A psicoterapia continua cercada pelos mistérios (e preconceitos) que a muito tempo atingem a Psicologia.

Sentados em nossas poltronas, eu converso com pessoas e, de algum modo, isso as ajuda.

Por mais simples que possa parecer, é um trabalho que envolve uma gama de conhecimentos técnicos e científicos. Nesse quesito, tenho total segurança sobre o quê e do porquê estou fazendo.

Mas o desafio não está na teoria e sim na prática.

Cada paciente traz detalhes que, por mais semelhanças que possam existir, sempre tem algo de novo. Cabe a mim ser capaz de adaptar meu trabalho ou mesmo me readaptar como sujeito (através de autoanálise ou supervisão clínica) para ajudar aquela pessoa.

A terapia é uma arte que se aprende fazendo – ouvindo, acolhendo e colaborando junto do paciente. Esse é o meu desafio.

Do outro lado, @ paciente chega ao consultório com pelo menos alguma ideia sobre o nosso trabalho (nem que sejam os estereótipos dos filmes e séries) ou pode ser que el@ carregue a percepção de outras pessoas – a fulana que se sente maravilhosa desde que começou a fazer terapia ou a sicrana que achou algo demorado, caro e que não serve pra nada.

Pode ser também que eu não seja o primeiro psicoterapeuta a atendê-l@. Independentemente do quão realistas sejam essas percepções, cada transformação é única.

É um processo verdadeiramente incrível – quando conduzido de maneira adequada – mas, é preciso dizer, nem sempre agradável.

É um ‘’remédio’’ cujos efeitos colaterais são a regra. Algumas sessões serão duras, exigindo d@ paciente ações e pensamentos totalmente novos.

Muitas vezes o processo de mudança leva ao afastamento de lugares, pessoas e interesses que antes eram importantes, o que nem sempre ocorre com facilidade.

Ainda assim, você compreende que aquela mudança é real, que de algum modo você descobriu algo de diferente em si mesm@. Não há volta, e se tentar voltar, seu olhar já será outro. Esse é o seu desafio.

Mas calma! Além das dores, também há recompensas ao enfrentar esse desafio. Na terapia você aprenderá a enxergá-las antes do fim do túnel (ou dos atendimentos)!

Na dor da mudança também há o prazer da redescoberta.

Lugares, pessoas e interesses novos irão surgir – alguns farão sentido por muito tempo; outros serão apenas passagens na sua história. De todo modo, aprender sobre si mesm@ e sobre a sua história te fará ser capaz de traçar novos caminhos e de saber olhar

quais você quer trilhar. Ao final, você se tornará @ terapeuta, e tudo vai depender de você.

Assim, posso te responder que é comprovado que a psicoterapia pode te ajudar a enfrentar diversos problemas em sua vida, mas isso também depende de você.

É um processo que vai te exigir dedicação, paciência e aceitação. Se ainda assim você estiver dispost@ a entrar nessa jornada, vá com a mente e o coração abertos e aproveite-a ao máximo.

E uma boa sessão pra você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *