A RESPIRAÇÃO COMO RECURSO TERAPÊUTICO

A respiração é um processo automático do corpo e, muitas vezes, ignoramos sua importância e deixamos a cargo do organismo toda sua função, como uma “terceirização”.

Devemos lembrar que nós somos um todo: corpo, mente, natureza…somos organismos no mundo que impactam e são impactados pôr tudo a nossa volta. 

Em situações de choque emocional há uma interrupção do fluxo respiratório e aumento da tensão nos músculos.

Um bom exemplo são transtornos ou episódios de ansiedade, pânico, fobias e outras, a alteração na respiração é notória. Quando sensações de insegurança, medo e descontrole dominam os pensamentos, que por sua vez, acionam gatilhos.

São como um curto-circuito ou um descompasso na percepção do real perigo assim, uma mensagem de alerta é enviada para o cérebro provocando uma descarga de noradrenalina e adrenalina no organismo, esses hormônios, aliados a outros, são responsáveis pelos sintomas da crise.

Falta de ar, dor no peito, calafrios, medo generalizado, despersonalização (sentir-se fora de si mesmo) são alguns sintomas que são experimentados de forma intensa em uma crise.

Esses episódios podem se generalizar para diversos momentos e os gatilhos para desencadeá-los se amplificar para diversas situações.

Regular e observar a nossa respiração deveria ser um movimento recorrente e consciente. Não me refiro a estados de vigilância ou obsessão, muito menos a “virar um monge”, chamo a atenção para cuidado com esse processo tão importante e que é capaz de baixar e regular tensões.

Em um momento de crise observar e utilizar técnicas de respiração nos torna capazes de baixar o nível de tensão e aumentar a capacidade de atenção e foco. Conseguirmos oxigenar o cérebro e o corpo a ponto de nos capacitar para tomadas de decisões mais conscientes.

Lowen (1984) Vai nos dizer que “a incapacidade para respirar normalmente torna-se o principal obstáculo para se recuperar a saúde emocional” e diante de uma pratica simples como a de respirar podemos ampliar nossos sentidos e relaxar o corpo. Uma função fundamental para a vida.

Os Yoguis há tempos conhecem a amplitude da respiração e difundem a pratica.

Hermógenes (2019) “A ciência ocidental considera a respiração tão somente como um fenômeno fisiológico … Para a ciência Yogui a respiração, no entanto, é muito mais do que um fato fisiológico. É também psicológico e prânico” A pratica de Yoga e meditação são recursos excelentes para amplificar a os sentidos e a percepção.

Você pode encontrar na nossa página @encontropsicologiaereiki no Instagram e no YouTube (Encontro Psicologia e Reiki) disponibilizamos exercícios de respiração e meditação.  


Referências:

LOWEN, Alexander. Prazer: uma abordagem criativa da vida. 7ed. São Paulo: Summus, 1984.

Hermogênes, José. Autoperfeição com hatha yoga. 63ª ed. Rio de Janeiro: Bestseller, 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *