A ANSIEDADE NA TERCEIRA IDADE

A ANSIEDADE NA TERCEIRA IDADE

Para muitas pessoas, a vida realmente começa aos 60. Você tem mais tempo para as coisas que você sempre quis fazer – visitar novos lugares, aproveitar novos hobbies ou rever amigos e familiares.

No entanto, algumas coisas podem parecer um pouco mais difíceis. Começamos a perder pessoas próximas. Amigos e familiares muitas vezes estão longe.

Nossos corpos podem diminuir um pouco e podemos ter mais problemas de saúde para se preocupar.

Essas mudanças podem aumentar o risco de ansiedade. Saber o que procurar e ser capaz de reconhecer os sinais e sintomas significa que você pode agir mais cedo e não deixar a situação complicar.

Estima-se que entre 10 a 15% dos idosos experimentarão alguma crise de ansiedade. Os idosos também são mais hesitantes em compartilhar suas experiências de ansiedade com os outros, muitas vezes ignorando sintomas durante longos períodos de tempo e apenas buscando ajuda profissional quando as coisas atingem um ponto de crise.

Mas com o suporte certo, você pode se recuperar e manter uma qualidade de vida acima da média.  

Fatores de risco para pessoas idosas:

A ansiedade na terceira idade pode ocorrer por diferentes razões, mas a doença física ou a perda pessoal podem ser gatilhos comuns. Fatores que podem aumentar o risco de uma pessoa mais velha de desenvolver ansiedade ou depressão incluem:

• Aumento nos problemas de saúde física (doenças cardíacas, diabetes, hipertensão, Alzheimer… );
• Dores crônicas;
• Efeitos colaterais de medicamentos;
• Perdas: relações, independência, trabalho e renda, autoestima, mobilidade e flexibilidade;
• Isolamento social;
• Aniversários solitários e as lembranças que essas datas trazem.

Muitas vezes é uma combinação de fatores que podem contribuir para uma pessoa que desenvolve ansiedade.

Se você está preocupado com um idoso que sofre ansiedade, então é importante mostrar que você se importa e ter uma conversa aberta com eles sobre isso.

Embora você nem sempre possa identificar a causa ou mudar circunstâncias difíceis, o mais importante é que ele saiba reconhecer os sinais e sintomas e procurar ajuda profissional quando necessário.

Alguns cuidados importantes!

– Mantenha os vínculos: Uma vida ativa e relacionamentos com pessoas queridas é super importante em qualquer idade, pois promovem a boa saúde mental. À medida que envelhecemos, manter conexões com amigos e familiares pode prevenir sentimentos de solidão e ajudar a permanecer mental e fisicamente saudável.

– Aprenda a conversar: Algumas pessoas acham difícil compartilhar o que estão passando, por medo de ser um fardo. Pensar que a saúde mental é um assunto particular ou que é preciso “ser forte”, mas a realidade é que as pessoas não podem ajudar se não sabem o que está acontecendo.

– Procure um médico: Se você está com sintomas de ansiedade, falar com um médico de sua confiança é sempre um bom primeiro passo. Além de fornecer um diagnóstico e discutir opções de tratamento, eles poderão encaminhá-lo a um especialista como um psicólogo ou um psiquiatra.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *